quarta-feira, 2 de junho de 2010

Seleção Artificial e Biotecnologia

A cada momento o homem busca maneiras de utilizar animais e plantas com um maior padrão de produtividade e sem que possuam nenhuma imperfeição.



A agricultura é realizada em torno de 10.000 anos pelo homem, sendo que antes da agricultura o homem vivia de competição com espécies mais fortes , e com a agricultura o homem começou a domesticação das plantas o que produziu uma série de mudanças tornando mais adequadas ao cultivo.

Mas com a domesticação das plantas, as plantas começaram a se modificar tornando-se incapazes de sobreviver na natureza por causa de alguns fatores como a ausência de mecanismos naturais de dispersão, diminuição nos mecanismos de defesa,ausência de dormência das plantas onde a germinação é mais rápida e mudança de habito perene para anual.

No ano de 1900 onde houve a redescoberta das leis mendelianas, as tecnologias vêm aumentando a eficiência das variações sobre a reprodução das plantas, dando ênfase ao desenvolvimento de mecanismos de isolamento reprodutivo através de seleção artificial.


As novas variedades de plantas são criadas através de mutações genéticas são produzidas radiações e por agentes físicos e químicos, dentre essas técnicas que são independentes da reprodução sexual é a ploidia iniciada em 1920 e a mutagênese descoberta feita pelo Muller e Stadler.os genes são separados dentre os desejáveis e os não desejáveis dando origem a milhares de novas variedades aprovadas e comercializadas no mundo inteiro.

Os processos relativos ao conhecimento da natureza e estrutura do material genético, o DNA, cujo estudo tem sido usualmente denominado de Biotecnologia, levaram, ao desenvolvimento de técnicas que permitem a transferência, entre espécies de genes específicos, sem o concurso da reprodução sexual. A tecnologia recebeu o nome genérico de Engenharia Genética, sendo as plantas assim obtidas denominadas de transgênicas.

A biotecnologia vem sendo aplicado em plantas e animais para a produção de substancias que ajudarão as plantas e animais se desenvolver melhor e com maior produtividade e ao mesmo tempo em que seja possível sua comercialização.

Mas apesar de ter sido em 1970 ao desenvolvimento de técnicas de transferência de genes biotecnologia surgiu em 1800 a.C. com o uso de leveduras para fermentar pães e vinhos.

Já no ano de 1860 ,alguns cientistas já iniciaram o processo de troca genética de forma deliberada cruzando diferentes variedades.Quando duas variedades são cruzadas cerca de 100.000 genes de cada individuo são recombinados produzindo combinações aleatórias, onde leva cerca de 8 a 12 anos para que a nova variedade esteja desenvolvida onde nem sempre pode haver o melhoramento genético com rapidez e precisão.

O crescimento de biotecnologia levou a partir de 1970 um crescimento enorme com a alteração direta do material genético ou tecnologia do DNA recombinante.
O crescimento acelerado da biotecnologia ocorreu a partir de 1970 com o desenvolvimento da engenharia genética (alteração direta do material genético) ou tecnologia do DNA recombinante. Esta tecnologia implica na modificação direta do genoma do organismo alvo pela introdução intencional de fragmentos de DNA exógenos (genes exógenos), que possuem uma função conhecida. Sendo assim, por meio da engenharia genética, o DNA (gene) que contém a informação para a síntese de uma proteína de interesse definido pode ser transferido para outro organismo que, por sua vez, produzirá grandes quantidades da substâncias. O produto resultante desta tecnologia é denominado de organismo geneticamente modificado (OGM) e as características adquiridas passam a ser hereditárias.


A biodiversidade se refere à variedade e variabilidade existente em diversas categorias, como ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes, em uma área definida. Com o aumento da população mundial que já ultrapassou 6 bilhões de habitantes a busca por alimentos leva ao homem a ter que produzir mais, com isso o mundo deve passar por uma nova revolução na agricultura onde a transferência genética vai ser o marco dessa revolução e com isso cabe ao homem não destruir a biodiversidade terrestre, por esta razão,essa nova revolução na agricultura que obtenha incremento na produção, mínimo impacto ambiental e que seja acessível a pequenos produtores. Para muitos a biotecnologia converge com estes objetivos, desde que os riscos desta nova tecnologia sejam mensurados e controlados.

Fontes:

http://www.clinicaq.com.br/imagens/trans_2.jpg

http://4.bp.blogspot.com/_1YQLVD8m78w/SCMQnZRRJAI/AAAAAAAAAQY/Vsl_kRnVEwo/s400/transgenicos-obtencao.gif

http://i.ytimg.com/vi/5RjEj7ngw9g/0.jpg

http://www.saudeanimal.com.br/imagens/dna.jpg

http://super.abril.com.br/mundo-animal/animais-transgenicos-selecao-artificial-438979.shtml

http://www.seednews.inf.br/portugues/seed113/artigocapa113.shtml

http://terra.cefetgo.br/cienciashumanas/humanidades_foco/anteriores/humanidades_1/html/cienciaetecnologia_biotecnologia.html

Nome: Juliano Jaco Lange

Um comentário:

  1. Juliano,
    tua postagem demonstra uma boa dose de pesquisa, mas o texto ainda está meio truncado em alguns pontos e, na minha opinião, um tanto quanto "neutro" no tratamento da questão da transgenia. Não que vc não possa ter uma opinião divergente daquela que trabalhamos em aula, mas para isso vc teria que qualificar um pouco mais os argumentos a favor dos transgênicos, pois já está para lá de provado que, no caso da soja, por exemplo, a transgenia não vai garantir nenhum aumento substancial de produtividade, e aí a história de que precisamos fazer uma nova "revolução" para alimentar as 6 bilhões de boca vai por água abaixo.

    ResponderExcluir